Por que o nome (domínio) é fundamental – parte I

post-nome-dominio-imagemcapa

Dois conselhos valiosos:

1. Simplifique a grafia;
2. Coloque no “nome” uma palavra relativa ao seu negócio;

Muitos amam colocar seus nomes ou sobrenomes nos domínios. É legal. Concordamos. Mas desde que isso não prejudique o seu cliente que está tentando lhe encontrar.

Sempre haverá o risco dele cair no site do concorrente. Esta possibilidade é sempre presente e poderemos inadvertidamente torná-la muito grande.

Quando você digita um endereço certo na barra superior do navegador ele lhe levará direto ao site desejado. Mas se o cliente errar a digitação o navegador abrirá uma página com opções e o que seu cliente verá lá são seus concorrentes uma vez que os mecanismos de busca tentam entender o que você está procurando e seu site já foi contextualizado.

Faça testes nos navegadores com termos errados – com grafia errada e os resultados serão surpreendentes.

Exemplo de uma digitação errada:

Digita-se apenas “folha” no navegador. Veja o resultado:

imagem1-post-nome-dominio

 

Observe que logo abaixo da linha de resultados está apresentado o maior concorrente da Folha de SP: O Estadão.

Se você digitar corretamente o endereço da Folha de São Paulo o navegador abrirá diretamente o site da empresa.

Agora imagine que você colocou seu nome no site. Você se orgulha muito disso, mas você é descendente de poloneses…

Então seu site ficou assim: platcheckveiculos.com.br

imagem2-post-nome-dominio

 

Se seu nome for Platcheck saiba que é um belo sobrenome, mas num país de língua de origem latina a escrita se torna bastante difícil. E no caso de utilizá-lo neste ambiente de web como parte de um nome de domínio, considerando que os buscadores contextualiza o conteúdo do site e as palavras e termos, a chance de que seu cliente, ao procurá-lo acabe acessando o site de um concorrente, é muito grande.

Lembre-se:

imagemcapa2-nome

Por Vinícius Ayres

 

Marketing Digital – Imobiliário, vende?

mktdigital-vende

A Internet virou um grande shopping center onde buscamos tudo o que precisamos. E assim como os centros de compras físicos, a disputa pelos melhores locais é enorme.

O que tratamos nestes posts será como melhorar o nosso posicionamento. Como melhorar a nossa visibilidade. Isso num primeiro momento, para mais adiante estudarmos a nossa “loja” por dentro. Como adquirirmos e usarmos ferramentas para que o cliente não só entre na nossa loja, mas “compre” o nosso produto.

Em linguagem mais técnica, queremos visitors, mas mais ainda queremos leads.

Ou seja não basta termos os canais digitais. Temos de aplicar técnicas de marketing digital, como SEO e outras. Mas não termina aí. Em  um 3º estágio, necessitamos fazer com que tenhamos clientes reais e ligados a nós para efetuarmos a venda.

 

No segmento imobiliário quem vende é o Corretor – não o site ou a página de rede social.

 

Por quê o website é tão importante para um Corretor de Imóveis ou imobiliária?

website-imagem

Todos sabemos que o website é o ponto de partida para a presença digital. Hoje, ser um profissional liberal ou ter uma empresa seja para que campo for, deverá ter uma representação virtual.

Esta representação inicial ainda é o website. É a nossa loja na internet – no caso imobiliário é o Plantão de Vendas neste mundo digital. Não é substituída por um perfil em rede social, uma página empresarial em uma das N redes disponíveis e nem mesmo um blog. O website é essencial.

Boa parte da estratégia digital terá como ponto de chegada, como ponto de referência o seu website.

Assim, tratarmos as questões relativas ao site torna-se uma necessidade e um passo crucial no sentido do sucesso das nossas campanhas e ações.

Nosso site tem de ser atrativo e voltado para que possamos obter resultados a partir dele. Ele pode ser seu maior aliado ou ser um grande inimigo.

Vamos tratar em posts adicionais de detalhes essenciais e que muitas vezes são negligenciados por web designers e administradores de site, o que pode levar você ou sua empresa a gastar milhares de reais, no desenvolvimento do site ou em campanhas de captação de clientes que não darão o resultado esperado.

Como em diversos outros setores a base é fundamental. E neste caso o website é a base de boa parte da nossa estratégia de marketing digital.

Nossas ações de Marketing Digital são os esforços que fazemos muitas vezes para trazer o cliente para o nosso território, nossa zona de influência e assim poder agir através de outras ações específicas para buscar a sua “conversão”.

Veremos adiante um post detalhado, com técnicas e dicas sobre como realizar esta conversão, porém temos de ter em mente que sem um website adequado e altamente eficiente não teremos êxito nesta tarefa.

Lembre-se:

resumo-import-website

Por: Vinícius Ayres

Marketing Digital x e-Commerce

c2-cursocorretordesafios2016

Uma pergunta que me foi dirigida a pouco tempo atrás questionava se e-Commerce e Marketing Digital seriam a mesma coisa.

A princípio achei que não era relevante a pergunta até que pouco tempo depois recebi de outra pessoa ligada ao mercado imobiliário exatamente a mesma pergunta.

Como o propósito do nosso trabalho é dirimir dúvidas, temos de nos direcionar para onde elas ocorrem.

Se você já sabe isso, releve, relaxe e aproveite para talvez refletir junto com a gente sobre isso.

e-Commerce é a operação de venda. O Marketing Digital é o conjunto de ações que fazemos no sentido de ampliar relacionamento com o mercado e com os consumidores.

Todo o e-Commerce precisa de ações e campanhas de Marketing Digital. Mas o Marketing Digital tem de ser trabalhado e desenvolvido mesmo em processos que não envolvem o e-Commerce. Como é o caso do mercado imobiliário.

Não existe e-Commerce no mercado imobiliário. Quem vende é o Corretor de Imóveis. Trata-se de uma venda complexa e que precisa da assistência do profissional.

Obviamente que sendo nosso enfoque o mercado imobiliário iremos tratar diretamente das questões voltadas a ele, e não ao e-Commerce.

Onde trabalhamos Marketing Digital

Todas as técnicas de marketing digital que estudaremos são aplicadas nos seguintes itens:

  • websites próprios;
  • Páginas de Rede Social;
  • Perfis de Rede Social;
  • Blogs – outros sites de apoio;
  • Publicidade On Line – buscadores;
  • Campanhas de Email Marketing;
  • Portais Verticais de Anúncios;
  • Sites gerais de Anúncios.

 

*por Vinicius Ayres
vayres@bol.com.br